25 janeiro, 2011

solidao onde vais?


Solidão onde vais, por onde andas
Porque te deitas ao meu lado
Te levantas no amanhacer
Escorres nas veias como seiva
Que se agarra nas entranhas
De um olhar perdido e gélido
Num tempo por inventar.



Sodidão que vagueia solta no vento
Nas entrelinhas de rodopiar
De um pássaro solto na noite
Num peito de dor e ferida
Que solta um grito no vazio
De um nome apertado no peito
Que mata na solidão do anoitecer


um abraço tulipa