07 novembro, 2010

Não fiques parado na praia



Não fiques parado na praia

Com o barco atracado  ao cais

Com medo de partir e de amar

Com medo chegar à outra margem

Como a onda que bate na areia

Não fiques aí parado como ave

Inquieta em dia de temporal
Voa bem alto , muito alto

Livre como o vento em céu azul

Sem medo de partir ou chegar

Ninguém desamarra o barco

Ninguém solta as amarras por ti

Mas no fundo tu sentes asas para voar

Não há vento , marés ou nuvens que te impeçam

Há gente que vive feliz como eu já vivi

Agora é a tua vez de não ficares parado na praia

Solta as amarras e parte para a outra margem

Onde alguém estará à tua espera.

um abraço tulipa

10 comentários:

Lilá(s) disse...

Que lindo tulipa! por vezes é preciso soltar as amarras mas não toda a gente consegue...
beijos

RETIRO do ÉDEN disse...

Muito belo este poema.
Deveremos soltar as amarras...mas sempre com ELE por companhia, caso contrário poderemos encalhar de tal forma, que iremos parar ao fundo e não conseguiremos submergir.
Cada vez mais os casos estão mais aí...e sofre-se e faz-se sofrer vidas e vidas.
Forte abraço
Mer

Sonhadora disse...

Minha querida
Por vezes é preciso soltar o sonho que vive em nós e voar.
Adorei o poema...lindo...sentido.

beijinhos com carinho
Sonhadora

Valéria Gomes disse...

Solte as amarras e aponte o teu coração para o céu!!! Bela semana para ti!!!

Beijos de passarinho!!!

csa disse...

Lindo e certo!
Por isso, vamos lá a ganhar coragem.
Uaf! :)

Pedrasnuas disse...

UMA MENSAGEM DE GRANDE ESPERANÇA

ABRAÇO

saudade disse...

Soltar as amarras e partir, se for para ser feliz, porque não tentar chegar á outra margem...
Saudade

Parapeito disse...

a partida não custa , quando alguem nos espera :)
gostei
brisas doces para ti**

Jacarée disse...

Saudades... "marés ou nuvens ..." trouxeram-me até aqui.
Tenho um minhinho p vc. no MY BABY.
Bjs

Apenas eu disse...

Olá Tulipa.
Tanta verdade dita de uma forma tão doce...

beijo