19 setembro, 2010

tenho momentos



Tenho momentos em que me perco
Nos becos e labirintos da vida
Tenho momentos que me perco
Num sorriso , num abraço, num sentir
Outros me fecho nas grades da indiferênça.
Da solidão mesmo rodeada de gente.



Tenho momentos que me sento na beira do mar
Choro por tudo o que não vivi e quero viver
Pelos amores que perdi por aí nas ruas desertas
Tenho momentos que sorrio feito criança
Tenho momentos que olho a Lua de dia
O Sol brilha mesmo na escuridão da noite.



Tenho momentos que nem sei quem sou
Tenho momentos que nem sei para onde vou
Que caminho seguir, que vida levar
Que tento me proteger dos ventos e tempestades
Que assombram a minha vida que parecem
Destruir cada bocadinho de mim que tento reconstruir
Como bocadinhos de papel rasgado num momento de dor.



Tenho momentos que não sei quem sou, nem quem fui
Os sonhos não brilham ao luar nem ao anoitecer
A noite é longa , silenciosa e fria mesmo quando está quente
Eu fico a vaguear no silêncio da noite, no vazio de mim.



um abraço
tulipa

8 comentários:

Miss Rabbit disse...

lindo poema tulipa, revi-me completamente nos teus momentos.

Beijinho

Luís Coelho disse...

Um poema bonito e um auto retrato.
Ao lê-lo me senti por dentro e em cada palavra me feri em pensamento.
Faz bem de quando em vez fazermos um retrato robô e depois ver onde podemos fazer uma poda de modo correcto e proveitoso.

RETIRO do ÉDEN disse...

E os Jardins da nossa alma têm de continuar a ser tratados, adubados, e ainda vão florir noutras primaveras que virão.
Forte abraço
Mer

Valéria Gomes disse...

Desses muitos e variados momentos é que tiramos a satisfação de sermos experimentados pela vida para sermos apresentados ao um futuro garantido pela sabedoria adquirida entre sorrisos e lágrimas.É dessa forma que a vida se faz valer a pena.


Beijos de passarinho!!!

csa disse...

Estou na onda negra!

Esther Maria disse...

O prometido é devido...aqui estou a dizer PRESENTE!

Eu gostava de ter as palavras certas e profundas para conseguir comentar este teu poema. Mas fiquei tão absorta por estas palavras, tão embebida pelos sentidos e emoções... ao lê-lo que não arrisco!
Apenas digo obrigado pelos momentos lindos de poesia
Parabéns poetisa.
beijinhos

Lilá(s) disse...

Lindo o retrato que conseguiste fazer!!! nem digo mais com medo de estragar digo apenas que ADOREI!!!
Beijos

Pedrasnuas disse...

NÃO DEVES SER A ÚNICA ...CHEGA-SE A UMA IDADE EM QUE SE FAZ O BALANÇO...E O RESULTADO PODE SER TRAMADO...CHEGASTE A LER" ANGÚSTIA PARA O JANTAR" DE LUÍS S. MONTEIRO?


ABRAÇO COM ESPERANÇA