29 agosto, 2010

procissão



No teu manto branco
Envolta em flores de luz
Corações apertados de amor
Seguiam o teu passar entre a multidão
Num silêncio de respeito e dor
Pessoas tão diferentes
Juntas num mesmo local
Onde dizem que há muitos anos
Te deixaste ver por três crianças
Em sentido de fé e oração
Muitos são os que te veneram
Procuram num momento de dor
Agradecem os feitos conseguidos.
O teu mito atravessa gerações
Povos, culturas e raças
Crenças e descrenças
Transmites paz na tua serenidade
Sentia as flores do meu coração
A murcharem porque me tinha
Perdido nos labirintos da vida
Fui procurar-te na minha solidão
Nas velas que ardiam na noite
Pedi-te luz para meu caminho
Um caminho onde a escuridão
Fez morada no meu coração
E as flores do jardim morrerm
Porque não sei cuidar delas.



Fátima- 28/08/10
Desta forma os Jardins estão reabertos...
um abraço tulipa