17 maio, 2010

saudade da ilha perdida...

Ilha do Corvo- Açores




Levava na bagagem o medo
A insegurância, a timidez
Olhei a tua pequenez
Na fraqueza do meu olhar
De menina longe de tudo
No silêncio do oceano que te envolve
O tempo não tinha pressas
Corria devagar em direcção ao mar
A minha vivacidade de menina
Não se deixou envolver no teu abraço
Solitário mas sereno.



A distância de um oceano separa-nos
Tantos anos vividos sem ti
Tu cresceste, tornaste maior
Deixaste o progresso entrar em ti
Fui te vendo crescer ao longe
Procurando saber de ti.
Nunca me esqueci de ti.



Eu envelheci vivi uma vida longe de ti
As rugas marcam o meu olhar
A menina perdeu-se no tempo
As pernas cansadas
Da vida que tenho e não tenho.
Fazem-me sonhar, acreditar
Que um dia te voltarei olhar.

Recordar cada canto e recanto
Cada momento passado
Ver rostos ausentes e perdidos.
Quero ir limpar as lágrimas
Que deixei perdidas por aí
Na hora do regresso
Trazia saudade, nostálgia
Nas lágrimas caídas.



Um dia quero voltar
Talvez não voltar a partir
Um dia solto as amararras
Que me prendem à vida
Uma vida que não te pertence
Voltar para junto de ti
Talvez não volte a partir….
Me enrole no teu abraço
Na solidão, no teu silêncio…
Me deixe ficar a olhar o horizonte...


um abraço
tulipa

14 comentários:

Valéria Gomes disse...

A saudade é um sentimento bom de se sentir. Sempre que olhamos para trás com saudade, é porque algo de maravilhoso por lá ficou.

Beijoca!!!

Pedrasnuas disse...

HÁ SEMPRE A ESPERANÇA DE UM DIA...QUEM SABE...

UM ABRAÇO

Lilá(s) disse...

Lindíssimo tulipa! há sempre a esperança do regresso e as boas recordações essas prevalecem mesmo com um oceano pelo meio.
Beijos

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Olá.

Penso que o bonito de um poema,
é quando chegando de mansinho,
ele toma conta de nós,
e ecoa em nosso coração,
nos enchendo de sentidos
e alegrias.

Que a vida inspire muitas palavras em ti.

RETIRO do ÉDEN disse...

Poema lindo, senti o abraço envolvente nas palavras no sentimento da escrita.
Bjs.
Mer

Maria Clarinda disse...

(...)Uma vida que não te pertence
Voltar para junto de ti
Talvez não volte a partir….
Me enrole no teu abraço
Na solidão, no teu silêncio…
Me deixe ficar a olhar o horizonte...
Maravilha este teu poema.
Jhs

legalmente loira... disse...

tulipa querida,
passando para meu abraço com carinho.
bjos.

Secreta disse...

Um poema que nos toca a alma e o coração...
um beijito.

csa disse...

É bonito, mas muito triste! :(
Para quando um poema de alegria? :)
Bjs.

elvira carvalho disse...

Um poema, que é um retrato do sentimento que todos experimentamos em alguma época da nossa vida.
Um abraço e uma boa semana

Sonhadora disse...

Minha querida
que belo momento de poesia, linda cada palavra.

deixo um beijinho
Sonhadora

Jacarée disse...

Lindo poema!
Tenho um mimo para voçê.
Um beijinho.

gaivota disse...

que lindo poema! uma das ilhas que ainda não conheço, o corvo
em setembro, se Deus quiser, lá irei, bem como à graciosa e santa maria
como é bom ir aoa açores!
beijinhos

Valvesta disse...

Olá vim conhecer seu espaço, lindo!
voltarei pra ler melhor, abraços no teu coração.

COMO ESTOU...


E quando eu te falei de amor
Tu não quiseste ouvir
desviaste o olhar, ao vento...
foste no horizonte buscar nuvens
desejar gaivotas, que voavam além
Mas eu fiquei a sonhar...
a desejar o infinito do teu olhar
A querer teu coração, tua atenção.
Eu te falei de amor, do meu amor.
Do sonho que acalentei, da ânsia...
Do fervor que ardia em mim
Olhando as auroras,
e contemplava o crepúsculo,
a esperar ainda estou,
por um novo amanhecer.


saltitantes valvesta