31 maio, 2010

espero por ti

Espero...
Por ti,

No outro lado das quimeras

Onde a realidade

E o sonho

Se entrelaçam

Do outro lado do espelho

Se fantasia com o infinito.



Espero…

Por ti,

No infinito encantado

Na solidão da noite

Iluminada pelo brilho das

Estrelas.



Espero…

Por ti,

Nos trilhos da vida

No tempo que se faz

E desfaz

No que já vivemos

No que ainda vamos viver.



Espero…

Por ti,

No embalo da noite

Que me acarinha

As memórias mais antigas

Com alegria e saudade.



Espero…

Por ti,

Num mundo que se constrói

E destrói em cada minuto

E um novo mundo

Nasce do nada

Tal como o amor

Nasce sem se saber

Como começou

E quando vai terminar



Espero…

Por ti,

Vem amor

Eu aconchego-te

Na brisa das minhas palavras

Na ternura do meu abraço.



Vem meu amor

Toca na minha mão

Sente a melodia que nos embala

Enxuga as lágrimas dos teus medos

E vamos viver o tempo

Do tempo vivido

Espero…

Por ti,





um abraço tulipa






17 maio, 2010

saudade da ilha perdida...

Ilha do Corvo- Açores




Levava na bagagem o medo
A insegurância, a timidez
Olhei a tua pequenez
Na fraqueza do meu olhar
De menina longe de tudo
No silêncio do oceano que te envolve
O tempo não tinha pressas
Corria devagar em direcção ao mar
A minha vivacidade de menina
Não se deixou envolver no teu abraço
Solitário mas sereno.



A distância de um oceano separa-nos
Tantos anos vividos sem ti
Tu cresceste, tornaste maior
Deixaste o progresso entrar em ti
Fui te vendo crescer ao longe
Procurando saber de ti.
Nunca me esqueci de ti.



Eu envelheci vivi uma vida longe de ti
As rugas marcam o meu olhar
A menina perdeu-se no tempo
As pernas cansadas
Da vida que tenho e não tenho.
Fazem-me sonhar, acreditar
Que um dia te voltarei olhar.

Recordar cada canto e recanto
Cada momento passado
Ver rostos ausentes e perdidos.
Quero ir limpar as lágrimas
Que deixei perdidas por aí
Na hora do regresso
Trazia saudade, nostálgia
Nas lágrimas caídas.



Um dia quero voltar
Talvez não voltar a partir
Um dia solto as amararras
Que me prendem à vida
Uma vida que não te pertence
Voltar para junto de ti
Talvez não volte a partir….
Me enrole no teu abraço
Na solidão, no teu silêncio…
Me deixe ficar a olhar o horizonte...


um abraço
tulipa

09 maio, 2010

Medodia do Adeus


Não sendo o meu tipo de filme preferido esta semana, fui ver a Melodia de Adeus, um filme  simples mas que dá que pensar...
Um filme que demonstra que o amar não vence tudo...o amor não consegue ultrapasassar certas barreiras...
Afinal de uma forma ou outra todos já sentimos isso....A paisagem fascinou-me...uma casinha à beira-mar...
Como sempre sonhei....talvez numa melodia de adeus à vida que levo...

um abraço, tulipa

02 maio, 2010

Filha e mãe que sou...



A filha que sou…

 
Teu rosto cansado

 
Olho o teu rosto cansado

As tuas mãos trémulas

As tuas pernas a fraquejar

Em cada dia que passa

Em cada dia que a

Vida passa por ti.



Olho o teu olhar no vazio

Já nem reconheço a mulher

De outro tempo

A mulher que um dia

Vivia em luta com o tempo

Com uma garra sem fim.

 
Olho para os teus dias tão iguais

Sem  vaidade  ou brilho

Os dias frios ou quentes

São sempre gélidos.



Em cada dia que passa

Fazes uma despedida lenta

Da vida que um dia tiveste.


Agarraste a pequenas coisas

Para vagueares por um mundo

Que já não sentes teu.




A mãe que sou….

Um dia

Um dia,
Senti  que o meu corpo

Se alterava
 Tudo  mudava

Dentro e fora de mim.



Meses depois , olhei para vocês

Num olhar terno e dorido

Tão pequeninos, enrugados

Nunca mais deixei de vos olhar.



Noites mal dormidas

Um coração apertado

Um coração que escuta

Na alegria e na dor

De cada um de vocês

Tão diferentes

Mas tão meus.



Num amanhecer encoberto

Deixei de ser “ eu”

Construímos um “ nós”

Que partilha cada dia

Que troca sorrisos

Que fala a linguagem dos abraços

Que sente amor em cada gesto

Que por vezes discorda

Um “ nós” que não se separa

Mesmo quando está longe.

Olho para vocês cada manhã

Sinto que estão a crescer

Que um dia vão partir

Soltos pelo mundo

À procura de uma nova vida.

 
Uma vida construída

Em cada palavra trocada

Em cada sonho traçado

Fico a ver o vosso crescer

Num amor intenso

Inquebrável

Pela encruzilhada da vida

Num amor só nosso!

Tão diferente de qualquer outro.



Um abraço a todas as mães verdadeiras, a fingir, a brincar...

tulipa