19 junho, 2009

barreiras...

O mar batia à distância
Caminhava no silêncio
da minha música
Pegadas na areia
Anónimas e perdidas
Caminhava com destino ao nada
Sem saber o que estava à frente
Mas não queria voltar atrás
Queria ficar longe da multidão
Vagueava no silêncio
Até ao limite do possível
Até ao limite do impossível
Há barreiras que não
Consigo transpor
Trepar vencer
Barreiras invisíveis
Barreiras dentro de mim
Que ninguém vê
Mas queimam como
Sol quente

Barreiras que tento libertar
Nas pegadas anónimas
Da praia…
Será que ficaram por lá
A ver o anoitecer?
Ao voltaram noutro
Dia , noutro amanhecer
Sem hora ou dia
Sem aviso
E queimam como ferida
Sangrando…
Numa dor sentida...
um abraço tulipa

7 comentários:

NAFTAMOR // Melhoral disse...

Barreiras,
oh!! loucuras.....
a minha vida está óptima, mesmo angustiada em certos momentos...
tudo parece estar bem, mas...eu percebo que me falta uma coisinha ... Acho que é daí que vem essa angústia macabra que me assombra ...

Um Beijo

Pedrasnuas disse...

AS BARREIRAS INTERIORES SÃO AS MAIS COMPLICADAS DE ULTRAPASSAR


ABRAÇO

Parapeito disse...

mas se tem de ser...que assim seja...por muito que agora possa doer...se tens de seguir em frente nao desistas...depois...com o tempo as feridas vão sarando...
Um abraço e brisas frescas para ti***

clic disse...

Há um tempo certo para tudo... penso eu... :)

Abraço

kris disse...

cabe-nos a nós superar as barreiras, libertar-nos para podermos ver a luz do dia

Secreta disse...

As barreiras não desaparecem sozinhas ... temos de esforçar-nos para supera-las, quanto mais rápido , melhor.

Princesa disse...

- A felicidade não está em viver, mas em saber viver. Não vive mais o que mais vive, mas o que melhor vive.
um beijo