10 maio, 2009

a familia dos pinguins...



Quando era nova, mal os primeiros raios de sol agitavam no céu eu pegava na toalha e ia para junto do mar…não tinha medo das ondas…adorava desafiá-las!
Os anos foram passando e hoje para ir à praia é um conjunto de coisas, sem fim, brinquedos, pára-vento, tolhas, lanches…às vezes perco a vontade de ir, porque primeiro que se saia de casa…
As nuvens rasgavam entre um Sol tímido e incerto, permitindo espaços numa areia por vezes invisível na sua imensidão, apenas os “ pinguins” e os futebolistas de domingo de manhã estavam na areia quase deserta.
Fiquei a olhar para o teu balancear…as tuas ondas pareciam flocos de neve… eu olhava-te, já não tenho a coragem de outros tempos… em que estivesses frio ou quente desafiava cada onda… Desde muito nova aprendi a conhecer-te, a desafiar-te como quem pensa que consegue desafiar o mundo…
Agora fico ali a olhar-te e a ver o meu marinheiro mais velho destemido, a procurar a melhor onda, próprio de quem ainda acredita que pode concretizar cada sonho como se de um mergulho se tratasse...
Só que cá em casa gerou-se uma onda de bodyboard ( ou bordyboard de areia !!) depois de comprarem os materiais minimamente essenciais , ontem fizeram-se ao mar …um mar agitado que assustava os mais inexperientes, mas não desistiram…eu fui lá ter mais tarde…e fiquei em terra a pensar como seria…
Eu ainda não comprei nada , mas hoje o bichinho de outros tempo mexeu comigo…e não resisti “ pifei” o equipamento existente cá em casa, deixando a marinheira em terra e fiz – me ao mar com o meu marinheiro mais velho.
Perdia-me no balancear da violência das ondas, tentava agarrar a prancha para vencer cada onda, sentir-me mais forte que o mar… Ao longe olhava o horizonte, o pensamento perdido imaginava onde me podias levar se pudesse navegar pelo tua imensidão…sem ter que voltar ao cais…
Enquanto mergulhava e me tentava manter em cima da prancha, pensava como o teu balancear é parecido com a vida…umas vezes calma e serena, outras agitadas e lutamos com as embarcações disponíveis para lhe fazer enfrente…às vezes numa embarcação tão frágil…que quase se afunda em cada dia de luta…
Só que a vida, tal como tu não pára, às vezes quase nem temos tempo para ajeitar a prancha, logo outra ondas se aproxima… mas mesmo assim vamos vencendo os medos as incertezas…as dúvidas…ao nosso lado navegam muitas vezes barcos maiores, bonitos, cheios de apetrechos e experientes..que nos vêm em dificuldade…mas continuam o seu percurso insensíveis à nossa dor, luta…mesmo que digam “ que estão lá”…. Raramente se aproximam quando precisamos…
Um dia gostava de me segurar em cima da prancha como muitos que lá andavam…mas o que importa é que o prazer do mar, de voltar a nadar e fazer-me ao mar voltou a nascer em mim…
No silêncio dos meus pensamentos…sei que quero acabar os meus dias…acordar e adormecer perto de ti…num mundo inventado por mim…e quando os meus olhos já não te puderem apreciar…e se fecharem e não se voltarem abrir…quero ficar em ti! Quero que as minhas cinzas partam livres pelas tuas ondas…que me levem para onde quiseres …numa liberdade que não me é permitida em vida…. Um desejo que há muito digo a quem me conhece, mas que não sei se vão cumprir…Nesse momento perdeu-se a capacidade de decidir!
Estava a tenta ao mar e ao meu marinheiro sempre destemido pelos seus vários anos de natação e de competição…Acenei – lhe...e eu sei que a apesar da tua beleza…és indiferente ao que entram em ti…e nem sempre os deixas voltar….
O mais novo faz body-bord de areia até tem dificuldade em molhar a cabeça…e a mim já me avisaram para comprar o material…porque isto de deixar marinheiras em terra não agrada muito…à menina cá de casa! Afinal a ideia foi dela !!! E agora fica em terra !!!
Hoje tive uma sensação de bem-estar, liberdade, que há muito não tinha!
Às vezes é tão simples ficarmos bem…ficava lá horas…mas tinha gente à minha espera no “ cais”…
A família dos pinguins promete voltar ao mar…eu sei que já não consigo passar sem ele nem que o tempo só me permita pequenos momentos…

Um abraço
tulipa

6 comentários:

clic disse...

Intenso!... :)

Pedrasnuas disse...

BOA!!! GRANDE MARINHEIRA...NÃO TE ESQUEÇAS QUE A VIDA TEM OUTROS DESAFIOS...MAS ESSA SENSAÇÃO DE LIBERDADE É MARAVILHOSA...EU QUE O DIGA!!!
E NO FUNDO TU GOSTAS DE TER ALGUÉM NO CAIS À TUA ESPERA...

ABRAÇO SENTIDO

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!

Dava um bom livro;)

beijinhos

Papoila disse...

Querida Tulipa:
Intenso! Fiz-me ao mar contigo e foi empolgante a viagem, por este mar que também adoro.
Belo texto.
Beijo

Fernanda disse...

Gostei de te ler...:)
Gostei da familia dos Pinguins...:)

Passa na minharua...está lá um presente pra ti...

Abraço

a disse...

Que aventura!

E não somos nós um país de marinheiros!?

Bom board.