24 maio, 2009

saudade...



Há gente que viaja na sua saudade
só com um bilhete de ida,
e não conseguem voltar,
do passado das lembranças e
Soltar-se para a vida.
A saudade é uma terra distante
num país percorrido
ao qual não podemos voltar
Mas insistimos em Viajar por
esses caminhos quase
sempre sombrios
que não podemos
Voltar a percorrer ou alterar.
Sentimos a vida a prosseguir e
ficamos nos parados na terra
Do tempo com um
Amargo na boca
um estranho sentimento de perda.

Um dia percebemos
que temos de renovar a bagagem
E partir para um novo país
com novas viagens,
novos territórios à procura
de novos sentimentos
de um novo amor
Procurar a felicidade
Para adormecer
as sombras do passado…


Poesia escrita já algum tempo e que aguarda a oportunidade de publicação em livro...
talvez quando a minha vida acalmar e voltar a ter tempo para escrever, ler, passear,
agora são papéis, fichas e responsabilidaes...que me fazem esquecer até o que é um simples fim de semana sem compromissos....tenho saudades de ter tempo...


um abraço tulipa

19 maio, 2009

à procura do " EU"




Era uma vez…há muito tempo…quase poderia ser uma história para crianças…daquelas com muitas peripécias e final feliz! Só que não é um livro para crianças…embora até podemos dizer que tem um final feliz …encontrou o EU do qual fugia sem o saber…!
Um livro simples, pequeno que li no intervalo de um livro para o outro… “ O Cavaleiro da Armadura Enferrujada “.
Quantos de nós não se escondem atrás de “armaduras” para mostrar aos outros aquilo que esperam de nós?
Tantas vezes atribuímos aos outros as culpas dos nossos fracassos e nunca nos consideramos culpados pelo fracasso dos outros, mesmo que nos tenham dado sinais de que precisavam de nós….continuámos o nosso caminho…sempre na tentativa de sermos os melhores…ou indiferentes a um pedido de ajuda que não percebemos, ou fingimos não ver…
Tentamos dar sempre a “ uma vida melhor “ aos que amamos, porque pensamos que assim serão felizes…mas muitas vezes não vimos a solidão no seu olhar…porque não temos tempo para reparar, olhar, ver quem nos rodeia…
Caminhamos, dias e dias, sempre na tentativa de sermos melhores, termos sucesso, sermos reconhecidos…muitas vezes só o fazemos porque temos medo de estar sozinhos. Temos medo da solidão de estarmos apenas acompanhados por nós próprios!
Andamos numa roda-viva de um lado para o outro…que não temos tempo para atravessar o “ Castelo “ do Silêncio, do “ Conhecimento “ e o “ Castelo da Determinação e da Coragem”…e encontrarmos o EU perdido nas aventuras e desventuras da vida…
Era uma vez um cavaleiro que gostava tanto da sua armadura que nunca a tirava e quando o quis fazer já não foi capaz…teve que percorrer um longo …longo caminho…
Será que nunca nos sentimos presos na nossa própria armadura?.. Quando a quisemos tirar já era tarde demais…era como se ficássemos despidos no meio da rua…perante o olhar curioso e crítico de todos…
um abraço tulipa

14 maio, 2009

as cinco coisas que eu...


A Fernanda do blogue na Rua Contigo ofereceu-me este mimo mas todos os seus mimos trazem as suas trabalheiras.... Obrigada Fernanda por te lembrares de mim!

Regras:
1- Colocar o selo no seu blog
2 – Indicar 10 blogues que adore
3 – Informar aos blogs indicados que receberam o selo
4 – Dizer 5 coisas que adorem na vossa vida

As cinco coisas que mais adoro na vida( a ordem pode não ser esta) e também não sei se são as que mais adoro , eu nem sou esquisita, mas são certamente as que ocupam um lugar de destaque mas mais haveria...

- Ler e ter muitos livros. Meu sonho é ter uma grande biblioteca variada.
- Escrever, poemas, prosa...até teses rsss um pouco de tudo.
- O mar...sempre ele o meu companheiro...e à manhã lá vou tentar dar "uma escapadinha" para fazer bodyboard...
- Roupa, colares, carteiras, óculos de sol....roupa e seus adereços....mas tudo prático... nada de vaidades!
- Dormir....adoro uma cestinha rss

E claro adoros os meus filhos mas eles não são coisas !!!

1o blogues muito complicado....não por não os ter mas ...mas é cá uma trabalheira, logo aldrabo o regulamento 5 coisas , 5 blogs rss , ( tentando não referir os da Fernanda) vou escolher alguns por onde vou viajando...

http://naela75.blogspot.com/
http://ateondeavistaalcanca-clic.blogspot.com/
http://asolpoente.blogspot.com/
http://velasardemsempreateaofim.blogspot.com/
http://amorfemarte.blogspot.com/

Muitos mais teria a dizer que me desculpem os outros...mas gosto muito de dormir e hoje o dia foi comprido e o de amanhã e o depois e depois...não se adivinham muito melhores!

um abraço e obrigada a todos que vão ajudando a manter este jardim vivo

tulipa

10 maio, 2009

a familia dos pinguins...



Quando era nova, mal os primeiros raios de sol agitavam no céu eu pegava na toalha e ia para junto do mar…não tinha medo das ondas…adorava desafiá-las!
Os anos foram passando e hoje para ir à praia é um conjunto de coisas, sem fim, brinquedos, pára-vento, tolhas, lanches…às vezes perco a vontade de ir, porque primeiro que se saia de casa…
As nuvens rasgavam entre um Sol tímido e incerto, permitindo espaços numa areia por vezes invisível na sua imensidão, apenas os “ pinguins” e os futebolistas de domingo de manhã estavam na areia quase deserta.
Fiquei a olhar para o teu balancear…as tuas ondas pareciam flocos de neve… eu olhava-te, já não tenho a coragem de outros tempos… em que estivesses frio ou quente desafiava cada onda… Desde muito nova aprendi a conhecer-te, a desafiar-te como quem pensa que consegue desafiar o mundo…
Agora fico ali a olhar-te e a ver o meu marinheiro mais velho destemido, a procurar a melhor onda, próprio de quem ainda acredita que pode concretizar cada sonho como se de um mergulho se tratasse...
Só que cá em casa gerou-se uma onda de bodyboard ( ou bordyboard de areia !!) depois de comprarem os materiais minimamente essenciais , ontem fizeram-se ao mar …um mar agitado que assustava os mais inexperientes, mas não desistiram…eu fui lá ter mais tarde…e fiquei em terra a pensar como seria…
Eu ainda não comprei nada , mas hoje o bichinho de outros tempo mexeu comigo…e não resisti “ pifei” o equipamento existente cá em casa, deixando a marinheira em terra e fiz – me ao mar com o meu marinheiro mais velho.
Perdia-me no balancear da violência das ondas, tentava agarrar a prancha para vencer cada onda, sentir-me mais forte que o mar… Ao longe olhava o horizonte, o pensamento perdido imaginava onde me podias levar se pudesse navegar pelo tua imensidão…sem ter que voltar ao cais…
Enquanto mergulhava e me tentava manter em cima da prancha, pensava como o teu balancear é parecido com a vida…umas vezes calma e serena, outras agitadas e lutamos com as embarcações disponíveis para lhe fazer enfrente…às vezes numa embarcação tão frágil…que quase se afunda em cada dia de luta…
Só que a vida, tal como tu não pára, às vezes quase nem temos tempo para ajeitar a prancha, logo outra ondas se aproxima… mas mesmo assim vamos vencendo os medos as incertezas…as dúvidas…ao nosso lado navegam muitas vezes barcos maiores, bonitos, cheios de apetrechos e experientes..que nos vêm em dificuldade…mas continuam o seu percurso insensíveis à nossa dor, luta…mesmo que digam “ que estão lá”…. Raramente se aproximam quando precisamos…
Um dia gostava de me segurar em cima da prancha como muitos que lá andavam…mas o que importa é que o prazer do mar, de voltar a nadar e fazer-me ao mar voltou a nascer em mim…
No silêncio dos meus pensamentos…sei que quero acabar os meus dias…acordar e adormecer perto de ti…num mundo inventado por mim…e quando os meus olhos já não te puderem apreciar…e se fecharem e não se voltarem abrir…quero ficar em ti! Quero que as minhas cinzas partam livres pelas tuas ondas…que me levem para onde quiseres …numa liberdade que não me é permitida em vida…. Um desejo que há muito digo a quem me conhece, mas que não sei se vão cumprir…Nesse momento perdeu-se a capacidade de decidir!
Estava a tenta ao mar e ao meu marinheiro sempre destemido pelos seus vários anos de natação e de competição…Acenei – lhe...e eu sei que a apesar da tua beleza…és indiferente ao que entram em ti…e nem sempre os deixas voltar….
O mais novo faz body-bord de areia até tem dificuldade em molhar a cabeça…e a mim já me avisaram para comprar o material…porque isto de deixar marinheiras em terra não agrada muito…à menina cá de casa! Afinal a ideia foi dela !!! E agora fica em terra !!!
Hoje tive uma sensação de bem-estar, liberdade, que há muito não tinha!
Às vezes é tão simples ficarmos bem…ficava lá horas…mas tinha gente à minha espera no “ cais”…
A família dos pinguins promete voltar ao mar…eu sei que já não consigo passar sem ele nem que o tempo só me permita pequenos momentos…

Um abraço
tulipa

05 maio, 2009

Porque...


Porque a terra é redonda
Porque o mar é imenso
Como a força do teu olhar
Porque o abraço nem sempre
Acalma um coração agitado
Porque o amor nem sempre
É eterno
Porque as pessoas mudam
E nem sempre as palavras acariciam
A dor de um coração ferido
Porque o passado persegue
O presente como se de realidade
Se tratasse,
Porque a vida um dia termina
Nem todos os sonhos se realizam
Porque o Outono derruba as folhas
Como a tristeza nos derruba a nós.
Porque cada dia queremos que seja melhor
Porque um dia temos tudo e no outro nada
Porque na vida há perguntas sem respostas
Porque ainda acredito que um dia
Tudo vai ser diferente!
Porque choveu lá fora
Mas dentro de mim
Faz Sol...um Sol ameno
De Esperança, como um sorriso
Envergonhado!
Simplesmente porque acredito!
No amanhã!

Um abraço Tulipa

03 maio, 2009

mães do mundo...


Mãe dá vida,
Acarinha, sorri mesmo na dor...






Não importa a cor ou raça




na tristeza ou na alegria!












Na dor, na miséria...
Na fome,
Na guerra
Tem sempre um abraço
um colo
Protector!
para acarinhar
a tristeza !


Mãe preta, branca, asiática...
Mãe que acarinha e acompanha
a dor, as alegrias,
perde noites .

Mãe em qualquer lugar do mundo!
Tem sempre um braço livre para abraçar
um filho.






Os animais também acarinham as suas crias até poderem caminhar sozinhas...pelos seus pés....Protegem-nas com garra!


Mãe me tornei;
Filha nasci!
um abraço às mães do mundo!
E a todas que um dia serão!
um abraço tulipa