27 janeiro, 2009

Viver na " escuridão"


Hoje tive de voltar ao IPO à entrada da cidade estão normalmente a distribuir o DESTAK gratuitamente, que eu peguei para folhear enquanto esperava...Fiz toda a viagem sumbersa nos meus pensamentos...que apareciam e desapareciam...
Ao abri-lo deparei-me com uma noticia que falava da descriminação que os jovens homossexuais eram sujeitos na escola por colegas funcionários e até professores. Continha alguns depoimentos em que algumas diziam já ter pensado no suicidio, em desaparcer...porque não conseguiam viver com esta descriminação....outros afirmavam viver uma " vida dulpa " para evitar problemas....mas com a qual tamabém não se sentiam bem...uma vida de mentira e sempre com medo que toda a verdade se descubra.... Uma vida mergulhada no medo!


Deixei o jornal solto numa cadeira para que outras pessoas o pudessem ler...reflectir , recriminar...mas pelo menos ficarem a saber que é uma realidade , que não podem fingir que não existe....

Depois coloquei os " fones" desliguei....mas o pensamento ....ficou preso nessa realidade nessa realidade de que se fala a medo.


 



um abraço tulipa

13 comentários:

a disse...

Somos muit@s a viver na escuridão, mas acredito que um dia a luz entre nas nossas vidas.
Admiro a coragem dos que tem essa luz e dão a cara por nós.

Dantins disse...

Compreendo que se tenha de viver na escuridão, muitas vezes os nossos actos acabam por ter reflexos noutros, é algo que tem de ser ponderado.
Sei que represento uma pequena minoria, mas eu faço parte daquel@s que vivem às claras de uma forma muito tranquila e feliz.
Espero que consigas encontrar essa tranquilidade.
Abraço

maripoza disse...

Compreendo a tua angústia e as tuas reservas... pois já vivi uma situação em que eu podia viver na "luz", mas a outra parte tinha de viver na "escuridão"... o que nos deixava no cinza e nos levou a ter de aprender a lidar, contornar e conviver com as pessoas da parte da "luz" e com as da parte da "escuridão, obrigando-nos sempre a alguma prudência, pois em cidades pequenas, quando menos esperas toda a gente conhece toda a gente...

Podes não ter essa coragem agora, pelo perigo que isso possa representar para 3ªs pessoas, mas vais chegar lá...

1 beijo

Pedrasnuas disse...

Haja alguém para Amar!!!

Mas compreendo as tuas razões!!!
Não é fácil viver com discriminação!!!
Cada um sabe de si!!!
E nem toda a gente consegue enfrentar o mundo de cabeça erguida!!!!
Ser marginalizado é dolororoso
contudo,penso que nos dias de hoje a aceitação da homossexualidade já vai sendo aceite! lentamente!!!
Há que insistir e continuar a mostrar às pessoas que não faz sentido desmentir a realidade!!!!!

Deixar para quando tiveres pouco a perder na vida...não será tarde demais?Não saberá a pouco?

Pelo menos saboreia tudo o que puderes...tudo o que existe nesses jardins proibidos!!!!!!!!!!!!!!!!! Arranca todo o prazer!!!!!!!!!!!

É triste uma vida mergulhada no medo!!!!

Um abraço de esperança

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!


Um Xi coração calado.


Força.

Apenas eu disse...

Que tenhas muita força e muita coragem, para seres quem és, com muito orgulho.
Cada um sabe de si e Deus sabe de todos, não é?

Desejo-te tudo de Bom.

beijinhos nesse teu lindo coração.

Maria Papoila disse...

Gosto daquilo que faço portanto não me resta outra hipótese senão viver na escuridão.

Fernanda disse...

Quando essa "DIFERENÇA" passar a ser vista com "INDEFERÊNCIA",... então, aí sim,... nessa altura, todas as vidas estão fora de "perigo",...e a vida tornar-se-á mais clara...

Sei do que falas, compreendo-te e acompanho-te...

Mas, também te digo,...que para ser feliz,...não é preciso que o mundo inteiro saiba,...qual a razão, porque somos felizes...:)

Deusa e Rainha disse...

Hummm... não complicamos tambem nós proprias?... Bjs

Adoa disse...

Minha querida, näo é uma questäo de forca (forssa), é apenasuma questäo de ser!
Ainda hoje numa das aulas o tema era os pontos positivos e os negativos de viver noutro país, neste caso a Alemanha.

Estava eu a dizer que tinha vindo para cá por Amor. A professora perguntou se tinha um namorado ao que respondi muito simplesmente "namorada".
Näo foi preciso dizer mais nada!

Simplesmente assim, sem rodeios, sem complicacöes, sem medos... E continuei com o que estava a falar.

Acredito que muitas das vezes somos nós os culpados da nossa própria discriminacäo.
É lógico que posso sempre ser regeitada pelos outros mas carambas! Se eles näo me quiserem ao lado, entäo NÄO MERECEM sequer ELES a MINHA COMPANHIA!

E depois, que tens a perder?

tulipa disse...

ADoa
Acreita que tenho muito a perder!
Uma vida....!!! Muita coisa mesmo!!!
Mas admiro a traqnualidade com que encaras as coisas!
tulipa

Adoa disse...

Tulipa, näo admires porque nada há para admirar! Tranquilidade? Nenhuma!

O facto é que me revolta tanto o facto de näo poder ser EU COM TODAS AS LETRAS que acaba por ser mais forte do que eu.

Todas as pessoas falam com a maior naturalidade do seu marido ou da sua mulher, por que näo nós?

É da mesma maneira que temos de falar, näo de outra por que estamos a falar do mesmo.

Mas tenho de te dizer que quase todos na minha turma säo muculmanos e que amanha se calhar vou ter alguma reaccäo menos positiva. (Se é que eles alcancaram a coisa!) Mas isso será razäo para me esconder de mim? Que respeito poderia eu ter de mim própria se o fizesse?

Percebes a minha posicäo?

Se todos nós falamos em liberdade e eles (homossexuais) querem ser respeitados nas suas diferencas (por exemplo religiäo)têm de respeitar tod@s. Porque no fundo, no fundo somos todos iguais e todos apenas queremos ser felizes, näo é?

Eu considero que ser homossexual é algo natural e por isso devo agir com a naturalidade correspondente.

Quantas vezes näo me apeteceu simplesmente gritar quando no meio de uma outra discussäo me emendaram por eu dizer namorada e näo namorado!

Felizmente, talvez, näo ofiz porque a discussäo que estava empolgada por outros motivos (definicäo de família - uma família é a uniäo de duas pessoas de sexos diferentes com o fim de procriar - se näo houver filhos, näo há família. acredita que estava a passar-me com o que estava a ser dito! mas depois diriam:Há! Tu dizes isso porque és lésbica!

Nem por isso. O facto de ser lésbica näo me tolhe as ideias e quero que pessoas com tipos de família diferentes da minha(duas mulheres com duas gatas) também possam lutar pela sua família.

Acabo ao fim e ao cabo por näo querer lutar pelos direitos de homossexuais ou o que seja... grupos... mas pelo respeito e igualdade entre pessoas.

Para mim näo faz sentido lutar pelos direitos de umas pessoas e desleixar-me dos direitos de outras. Isso já é o que fazem connosco.

Mas se nos juntar-mos todos a "lutar" por uma coisa täo básica como é o respeito uns pelos outros, todos estamos incluidos - todas as pessoas com diferentes religiöes, credos, sem credos, cores, políticas, filosofias, etc.

A mim parece-me básico.

E com que direito alguém te pode dizer que näo podes amar quem queres? Porque razäo terás tu de ser infeliz por causa de quem näo te deixa ser feliz?

Eu sei porque te escondes - tens filhos!

Respeito e muito a tua opcäo! Näo é por ti que o fazes pois näo? Crês que estás a proteger as tuas crias...

Eu, na tua posicäo näo sei se faria as coisas da mesma maneira...

Eu näo acredito muito em solucöes de "chiclete", daquelas que temporalmente tapam os buracos mas que passado pouco tempo arrebenta...

Sabes que as pessoas têm de ter sempre algo para se chatearem e acima de tudo, para se sentirem superiores aos outros... Nós como nos comportamos de maneira a que "eles" têm espaco para o fazer... eles fazem-no!

Mas olha que aqui näo há nada para admirar! Sou muito palerma e louca...

Apenas eu disse...

Não me importa quem és, qual a tua orientação sexual, apenas me importas Tu.
Espero que estejas bem. Só isso!
beijinhos