16 novembro, 2008

O tempo a envelhecer...


Olho as folhas caídas e secas.
Um amor caído e sufocado
que não resistiu ao envelhecer
do tempo.


Um grito de desespero
foi silenciosamente sufocado
os amores que se vivem.
Não se apagam apenas
caem como as folhas de Outono
envelhecidas por o que se viveu.

Olho a paisagem seca e amarelecida
que chora os dias
em que não acordou.
As noites em que não se entregou
às carícias do orvalho

Se refugiou na solidão
de um quarto vazio
Sem o sabor de um beijo.


O desejo e o impulso contidos
num trago amargo de
orgulho ou tristeza
das palavras que calou
dos abraços que não deu.


Olho a paisagem envelhecida
deixo cair uma lágrima
para limpar a alma ferida
e sofrida.
Liberto a mágoa
do que vivi ,do que quero viver.
Num derradeiro gesto
De acordar os sonhos
adormecidos na eternidade
do tempo envelhecido…

Olho o tempo a envelhecer…
e fico a vaguear no pensamento…


tulipa

09 novembro, 2008

Coração de mãe...


" O coração de mãe não é só um ´

músculo que bate sem parar.

É um lugar mágico onde acontecem

as mais extraordinárias coisas...


O coração de mãe

está ligado a cada coração

de um filho por um fio fininho,

quase invisivel.


É por causa deste fio que tudo

o que acontece aos filhos

faz acontecer alguma coisa dentro do coração de mãe"


( Isabel Minhós Martinho)


No coração de mulher cabe muita gente

Mas esse coração está dividido em muitos

Bocadinhos....

E o de mãe ocupa um grande espaço

Talvez o maior de todos...

Vocês dos dois ocupam um lugar

que ninguém poderá ocupar

nem substituir

é uma forma de amar diferente de todas as outras...


um beijo para os meus campeões...

tulipa

02 novembro, 2008

solidão...


“ Embora goste de solidão, uma coisa é passar meses sozinha , outra é a solidão psicológica , sentir que não tenho ninguém ao meu lado” ( Maria Filomena Mónica)
A solidão sempre foi algo que me bateu à porta, algo que sempre me fascinou e ao mesmo tempo assustou…
Gosto de estar sozinha, de chegar a casa e ter as luzes apagadas, não ter horários ou compromissos;
Gosto de me encontrar comigo própria no silêncio, reflectir no dia que passou, planear o dia que irá amanhecer;
Gosto de me perder nos cantos e recantos de mim própria sem ser interrompida;
Gosto de olhar o dia a desaparecer acompanhada por uma caneca de chá no silêncio da tarde;
Gosto de trabalhar horas a fio sem horários, sem ninguém a mandar-me parar;
Gosto de estar…comigo própria, preciso do meu espaço…
Mas não suportaria a ideia de não ser amada por alguém, de não ter alguém para me dar um abraço quando não me apetece estar sozinha… quando a noite é fria e escura…
Gosto de vos ouvir brigar;
Gosto de ver o teu olhar mesmo que às vezes me pareça triste…mas sei que preciso de ti!
Gosto de estar sozinha fisicamente, mas não suportaria a solidão no meu coração…nesse estão poucas pessoas …mas sem as quais não saberia viver….embora às vezes também precise de “ tirar férias” de vocês …por favor não me condenem….tentem entender esta minha forma de estar e ser….
Sei que pode parecer estranho mas estar sempre acompanhada também cansa …e eu preciso de me amar, conhecer, de tirar prazer da minha companhia….


Um abraço tulipa