28 outubro, 2008

laço cor-de-rosa


Ontem tive que passar o dia no Instituto Português de Oncologia e enquanto esperava observava as centenas de rostos que entravam e saíam ...
Como a minha especialidade era ginecologia , a sala estava cheia de mulheres, algumas acompanhadas pelos maridos ou namorados outras sozinhas como eu…algumas mantinham conversas como se já se cruzassem naquelas andanças há muitos anos…outras mostravam rostos inseguros e ansiosos porque era a primeira vez...
Eu não era a primeira vez...já vou conhecendo alguns cantos à casa…levei livros para estudar…mas o cansaço venceu…fechei os livros enquanto ia mudando de secção, para fazer os vários exames, tentava ler em cada rosto o sofrimento… a dor que as tinha ali levado...
Echarpes compridas traçadas de uma forma artística tapavam o que talvez já tivesse sido um bonito cabelo, bonés deixavam despontar pequenos sinais…do que poderá voltar a ser o cabelo perdido…
Confesso que não falei com quse ninguém refugiei-me no MP4 e senti-me sozinha…não por estar sozinha ,mas porque no fundo tantos “ amigos” familiares, colegas…sabem que estou com alguns problemas e não houve uma mensagem de ninguém …e mesmo quando cheguei a casa…ninguém se lembrou de me perguntar nada…e hoje no local de trabalho..quando me perguntaram …ainda se puseram a “ gozar” porque aos olhos de toda gente sou sozinha…não há ninguém na minha vida… Ontem só saí de lá já passava das 18h senti o peso de se ter amigos e família e não ter….cada vez questiono mais o valor da verdeira amizade…afinal ao longo da minha vida sempre senti que dei mais do que recebi…e ontem foi mais um dia…afinal só queria sentir que era importante para alguém…que se preocupam com o facto de o meu “ peito estar doente”…e naquelas horas gostava de sentir que o mundo parava um pouco para me dar atenção…
A vida às vezes prega-nos partidas , chega de rompante , quase não nos dá tempo para pensar que rumo seguir....não pede licença e baralha-nos o percurso que pensávamos traçado para cada dia…e nesses momentos achamos que fomos os únicos a quem a vida pregou uma partida…mas no fundo não somos!
Cada um tem a sua vida…a minha amiga de mais de 30 anos formalizou hoje o seu divórcio apesar de há muito se sentir só …começa agora a sentir a solidão de chegar a casa e ter sempre as luzes apagadas…outra amiga de há menos tempo…sabia que eu ia mas nem se lembrou de perguntar nada…e eu não me esqueci que ela hoje ia a uma consulta…mas ela esqueceu-se de mim….Fico triste. Vive embrulhada no trabalho...a ele dedica tudo!

Amanhã o meu reguila maior faz 10 anos….e cada vez me sinto mais que são menos as pessoas…que me rodeiam , me amam ou se preocupam comigo….

Avisem lá os médicos que eu não quero usar lenços artisticamente colocados porque adoro o meu cabelo às madeixas loiras e vermelhas….( risos)
Como fiquei até mais tarde do que previsto devido a exames suplementares recebi o apoio , o carinho do pessoal médico e hospital...que se preocupavam que chovia muito ...se tinha comido alguma coisa e porque ainda tinha uma viagem comprida para fazer...foi bom receber o " carinho" de estranhos...
Origada...
Um abraço tulipa

21 outubro, 2008

chávena de café....


Olho um rosto cansado,
uns olhos sem brilho,
que se deixam levar pela rotina da vida
Uma vida que se escreve e reescreve no silêncio
Uma vida que se inventa cada dia.
Uma chávena de café tomada todos os dias
no mesmo lugar, os olhos que se perdem pelo jornal
Uma ou outra conversa sem principio ou fim
num começo de mais um dia...no fim de uma tarde
Num regresso ao mesmo lugar
às mesmas coisas, aos mesmos objectos...
à rotina de cada vida.
Uma chávena de café que se perde no tempo
que se perde entre dois dedos de conversa
Uma chávena de café de um vicio solitário
ou a dois....
Que ajuda apagar as tristezas e a recompor cada
momento...
Um momento construído por mim...
Um momento construído por quem fui...
Um momento construído por que sou...
Um momento construído por quem serei....
Às vezes olho-me ao espelho...e não sei quem sou...
vou aquecer as mãos e entrelaçar os dedos numa
chávena de café....
e olhar a chuva lá fora....
a violência do vento...
Procurar o que fui...e o que serei...
Tulipa

16 outubro, 2008

Porque...


Porque a terra é redonda
Porque o mar é imenso
Como a força do teu olhar
Porque o abraço nem sempre
Acalma um coração agitado .
Porque o amor nem sempre
É eterno
Porque as pessoas mudam
E nem sempre as palavras acariciam
A dor de um coração ferido.
Porque o passado persegue
O presente como se de realidade
Se tratasse,
Porque a vida um dia termina
Nem todos os sonhos se realizam
Porque o Outono derruba as folhas
Como a tristeza nos derruba a nós.
Porque cada dia queremos que seja melhor
Porque um dia tivemos tudo e no outro nada
Porque na vida há perguntas sem respostas
Porque ainda acredito que um dia
Tudo vai ser diferente!
Porque hoje chove lá fora
Mas dentro de mim
Acredito em ti
Acredito em mim
Acredito em nós!
Simplesmente porque acredito!
um abraço tulipa

09 outubro, 2008

histórias de vida,,,



Às vezes quando olho para pessoas com as quais me cruzo no meu dia –a- dia. Das quais nada sei …a profissão às vezes é a única referência e um nome que lhe foi atribuído …penso que história de vida estará escondida atrás daquele rosto, daquele sorriso ou daquela cara triste…
Será que também ela tem uma história de vida escondida num mundo de verdades e mentiras, algo que esconda até de si própria, algo de que fuja…
Talvez cada pessoa tenha um mundo cheio de cantos e recantos...uma fase da vida da qual não se orgulha, uma fase que quer esquecer, algo que ninguém ou um grupo muito restrito saibam…um vício, um hábito, uma “ vida dupla”.
O meu filho que tem quase 10 anos não dispensa o “ seu fofinho” para dormir, um boneco que lhe comprei quando a minha …nossa vida… deu uma reviravolta….mas não conta a ninguém porque tem medo que o gozem…um medo de menino que quer ser crescido mas que ainda se protege num boneco para dormir….
Será que na história de vida de cada um nós haja um medo , ou receio…algo que se pudéssemos arrancávamos da página da vida….ou algo que não assumimos porque saberíamos que os outros não iam entender…e então preferimos esconder os “fofinhos” da nossa vida…e vivemos com o receio que o um dia o pano caia e nós fiquemos desnudados como as árvores no Outono …sem forma de negar….será cobardia? Talvez….
Mas viver uma história de vida paralela é como se o pano possa cair a qualquer momento … e o “ fofinho” fique exposto a um mundo de julgamentos…
Cada vida uma história…muitas vezes desconhecida…mesmo quando achamos que sabemos tudo do outro…


uma tulipa escondida no jardim da vida...

um abraço

05 outubro, 2008

abraços


Os Abraços saõ a
linguagem dos afectos
Abraço de amigo,
Abraço de consolo,
Que nos liberta da solidão
Da dor e amargura.
Abraços que se cruzam entrecruzam
Num olhar, num tocar…
Abraço das estrelas
Que abraçam o universo
Abraço virtual
Abraço real
Abraço de vitória
Abraço de uma criança
Um abraço apaixonado….
Um abraço que seca as lágrimas
Um abraço que nos faz sorrir…

Um abraço é algo que só poder ser feito por dois ….

ninguém se consegue abraçar sozinho…


A todos um abraço …

tulipa