21 setembro, 2008

Para vocês...

Hoje, quando vos vi chegar e porque às vezes as questões e as decisões do passado ainda me assombram… como fantasmas, olhei para o rosto daquele homem envelhecido, ausente, sempre distante…que vos vêm buscar de mês a mês …que nunca telefona , não sabe se estiveram doentes, se tiveram uma tristeza…ou uma alegria….e nunca pode contribuir com nada!
Mas quando olho para vocês pergunto-me senão fui eu a culpada…em transformá-lo numa pessoa egoísta e ausente e se tudo seria diferente senão vos tivesse privado de uma” família normal”.
Mas um dia, todos os projectos e sonhos caíram …não consegui viver uma vida que não sentia minha…mas será que tinha o direito de vos privar a vocês?
Não foi fácil, passámos por momentos difíceis…acusações, raivas, ameaças….e isso uniu-nos muito…vivemos cumplicidades juntos…principalmente contigo meu companheiro mais velho…que me secavas as lágrimas, que ainda hoje fazes tudo para não me desagradar…
Não sei quando tudo terminou…não sei se foi porque apareceu alguém na minha vida, quase por acaso e aos poucos…me ensinou que ainda podia voltar amar, me fez sentir gente, numa vida há muito contornada pela rotina…e pela distância….ou se isso foi apenas o empurrão que precisava para voltar a sorrir…mesmo no meio das lágrimas.
Mas entre tantas dúvidas, medos incertezas, nova separação acontece…e às vezes ainda falas nisso porque há sempre recordações que ficam e promessas por cumprir…mas mesmo “quando se ama alguém , ninguém é dono de ninguém” e um dia as pessoas partem. Como um dia serão vocês a partir. Voltámos a ficar os três….cada um procurava um jeito de afastar a dor, criar magias para um novo dia!
Hoje passados alguns anos, vocês crescem…e eu cada vez tenho a certeza que “ pai” é algo que só existe no papel…e muitas vezes tenho medo pelo vosso futuro….que eu não tenha tempo para vos ver crescer…e quando alguma ameaça de doença…me assombra ( como agora) tenho tanto medo….não por mim, eu já vivi tempo suficiente …mas porque não posso deixar-vos sozinhos ( seria uma traição) entregues a um futuro incerto nas mãos de quem nunca esteve presente…nem sabe qual o seu papel na vossa vida.
Quando olho para aquele a quem chamam pai…é como se nunca tivesse feito parte da minha vida….mas teria o direito de vos afastar do direito de crescer “ numa família normal”?
Acho-vos felizes e lindos!
Desculpem…mas também tentei…não me condenem um dia, porque vos amo e tanto do que faço ( errado ou certo) confesso é em nome desse amor!
Desculpem se já vos magoei ....
tulipa

5 comentários:

mots a la bouche disse...

Os Pais podem continuar a ser Pais, a estarem presentes, a assumir o seu papel, mesmo que o casal tenha decidido separar-se porque viver uma "família normal" só de aparência também não faz os nossos filhos felizes de certeza.
Por isso força e coragem para seres uma mãe presente e cheia de amor firme para dar.

lisse disse...

Fiquei impressionada e preocupada com as tuas palavras.
Só tens de ser mãe. Mãe de amor, de presença e de partilha.
Para te dares assim, precisas de ser tu propria e de procurares ser feliz.
Ao passares esses valores aos teus filhos eles serão seguramente pessoas melhores.
beijo e força

Valsa Lenta disse...

Seja a Mãe que sempre foi. Cuide, ame, sorria e chore.
"Família normal"?!... deixe-me dizer algo. É preferível uma "família normal" que não ame, que sofra, que discuta e espalhe infelicidade no seu meio - e os filhos presenciando tudo isto?

Não sei que dizer... sou mulher e tenho uma relação com uma mulher. Tem uma menina encantadora e tinha uma "família normal". Não vou referir as causas do divórcio pq diz respeito ao casal. Quando a conheci já estava divorciada. Tudo aconteceu com naturalidade e já vamos a caminho de 3 anos. A nossa menina vive num ambiente feliz. Adora o pai e sempre é incentivada a amá-lo e a respeitá-lo - por nós.

Os medos também os temos. Muitos!
Cada dia é um dia, cada momento um momento.
Viva cada momento intensamente com os seus filhos. Nada lhes escapa! Faça amizades sinceras e verdadeiras.

Não me vou alongar... muito mais haveria a dizer.

Felicidades

Druiel disse...

è bom ter medo ... pois está-se consciente. Mas haja a coragem para enfrentar as situações, mesmo que venhamos a errar, o que interessa é que fazemos sempre o nosso melhor.

Muitos beijinhos

fiel.jardineira disse...

Bonito desabafo, obrigada por partilhares pois tambem estou com esse medo... :/ Bjs